Porquê Portugal

Dados sobre Portugal – Porquê Portugal?

 

Outrora ponto de partida para a descoberta do globo por mares nunca dantes navegados, Portugal mantém a sua natureza de país virado para o mundo.

Justamente apelidado de ocidental praia lusitana por Luís Vaz de Camões na grande epopeia portuguesa “Os Lusíadas”, Portugal goza de uma estreita relação com o mar, fruto de uma costa de 963 km banhada pelo oceano Atlântico. Aqui encontramos o Portugal insular: as belíssimas regiões autónomas da Madeira e dos Açores.

Praias magníficas, atividades – profissionais e de lazer – ligadas ao mar e peixe sempre fresco, variado e cozinhado com sabedoria são apenas algumas das ofertas que esta condição privilegiada proporciona a quem escolhe Portugal para viver.

Apesar das águas do Mar Mediterrâneo não chegarem a banhar o país, a sua influência é notória especialmente no clima e na gastronomia, sendo o azeite e o vinho alguns dos produtos considerados embaixadores de Portugal pelo mundo.

 

A língua portuguesa é a 5ª mais falada no mundo inteiro com cerca de 240 milhões de falantes. Foi graças à Era dos Descobrimentos que se deu esta grande difusão da língua que chegou a todos os continentes. Foi o início da diáspora portuguesa no séc. XV e que se mantém até aos nossos dias com o espírito aventureiro português a levar o seu povo a procurar novos caminhos além-fronteiras.

Ao mesmo tempo, os portugueses são conhecidos por bem acolher os “forasteiros”, procurando,  através desse contacto, a sua própria evolução. Ou não fosse Portugal considerado o segundo país com melhor capacidade de integração dos imigrantes pelo MIPEX (Migrant Integration Policy Índex), logo a seguir à Suécia, num universo de 31 países. Neste estudo, Portugal lidera o ranking no que diz respeito à reunificação familiar e ao acesso ao mercado de trabalho. Também no Relatório de Desenvolvimento Humano das Nações Unidas (2009) Portugal se destaca com a melhor legislação para os direitos humanos e proteção dos imigrantes na União Europeia.

Seja pela segurança que se sente, pelo custo de vida ou pelo clima agradável, Portugal é procurado hoje em dia por habitantes de todo o globo.

Com fronteiras constituídas desde o séc. XII, este é um país cheio de tradição, monumentos históricos para visitar, vilas rústicas e áreas rurais por onde o tempo parece não ter passado. No entanto, o país não deixa de ter um pé no futuro que se reflete no cosmopolitismo das principais cidades ou na qualificação dos seus recursos humanos, por exemplo. São estes contrastes que fazem deste um país único, que vale a pena conhecer e viver com tempo.

 

 

Segurança e Tolerância

 

Com baixos índices de criminalidade, violência e ameaças ligadas ao terrorismo, Portugal conta-se entre os países mais seguros não só da Europa como do mundo. Sobretudo por parte dos imigrantes provenientes de países com uma realidade mais conturbada, este releva-se um fator determinante na escolha de Portugal como país para viver.

Portugal é um regime democrático desde 1974, o que tornou possível, a partir dessa altura, a criação de uma sociedade mais plural, aberta e tolerante.

Outra novidade decorrente da instauração da democracia foi a laicização do Estado que, a par de uma maior receptividade para o acolhimento de povos estrangeiros, contribuí para uma maior tolerância religiosa e, mais do que isso, para a abertura ao diálogo entre religiões. A Lei da Liberdade Religiosa tem vindo, desde 2001, a reforçar a garantia de que todos os cultos, credos e crenças são respeitados.

O combate a todas as formas de discriminação e a promoção da inclusão são temas frequentemente na ordem do dia e essa discussão tem dado frutos: por exemplo, em 2010 a Assembleia da República permitiu o acesso ao casamento civil entre pessoas do mesmo sexo.

Em qualquer parte do mundo o ser humano precisa de liberdade e segurança para realizar o seu pleno potencial”.

Aung San Suu Kyi, ativista política Birmanesa, Prémio Nobel da Paz 1991

 

Clima/ Património Natural / Demografia

É do conhecimento geral que o sol traz felicidade. Os cerca de 300 dias de sol que todos os anos  inundam Portugal de luz ajudam a explicar o sucesso do país enquanto destino turístico. Para uma permanência prolongada existem propósitos mais fortes, como a procura de melhores condições de vida e de trabalho. A qualidade dos tempos de lazer revela-se, no entanto e cada vez mais, um fator a ter conta.

Praias paradisíacas, esplanadas convidativas e um património natural riquíssimo são apenas alguns dos encantos que Portugal tem para oferecer.

Recentemente foram eleitas as 7 maravilhas naturais de Portugal, sendo as vencedoras: a Floresta Laurissilva na ilha da Madeira, o Parque Nacional da Peneda-Gerês, as Grutas de Mira de Aire, a Lagoa das Sete Cidades, o Portinho da Arrábida, a Ria Formosa e a Paisagem Vulcânica do Pico. Vale a pena admirá-las e ainda descobrir muitas outras.

Simpáticos, atenciosos, descontraídos, criativos, acolhedores: é assim que os portugueses são vistos pelos estrangeiros a viver no país.

A população em Portugal é de 10.562.178, entre os quais cerca de 401 mil imigrantes. Este número corresponde a 3,8% da população, grande parte em idade ativa e a contribuir para o aumento da natalidade do país. O perfil dos imigrantes tem vindo a alterar-se nos últimos anos com o aumento da vinda de estudantes.

Por outro lado, verificou-se um aumento do número de descendentes de imigrantes nascidos em Portugal que adquiriram nacionalidade portuguesa. Esta condição só foi possível graças a alterações na Lei da Nacionalidade, efetivadas em 2006, que facilitaram o acesso à cidadania nacional. O enquadramento legal português é hoje reconhecido a nível internacional como um exemplo na integração de imigrantes.

Portugal encara as migrações como parte de uma estratégia de valorização e crescimento económico. Através da gestão do talento e do estímulo à mobilidade, o país reforça e promove o contributo das populações migrantes, com o objetivo de tornar Portugal um país mais competitivo e tolerante.

 

Ensino / Investigação / Investimento

 

Apesar de uma dimensão geográfica reduzida e do forte impacto que a crise económica internacional provocou, Portugal tem sabido reinventar-se. Ao desemprego, os portugueses respondem com a criação do próprio negócio.

Os programas estratégicos governamentais apostam na alta qualificação do capital humano e no apoio ao empreendedorismo.

Contam-se cerca de 90 incubadoras de novas empresas distribuídas pelo país e o estado dispõe de apoios efetivos a este universo de iniciativas, além de incentivos fiscais (nomeadamente IRC de 0% para Start-Ups pelo menos nos primeiros 3 anos de atividade)

Muitos ficam surpreendidos quando conhecem os indicadores para a inovação e tecnologia em Portugal, mas é, sem dúvida, um motivo de orgulho.

O último estudo do Fórum Económico Mundial demonstra que Portugal ocupa o 5º lugar na rapidez em começar um negócio e o 10º na facilidade dos procedimentos necessários para o fazer. O mesmo estudo coloca Portugal em 2º lugar na qualidade das infra-estruturas rodoviárias, em 11º lugar na disponibilidade das tecnologias mais avançadas, em 8º na disponibilidade de cientistas e engenheiros e ainda em 4ª na qualidade das Business Schools. Falamos de um universo que abrange 144 países!

O ensino superior em Portugal ocupa o 22º lugar num estudo feito pela rede internacional Universitas 21. Um dos fatores de diferenciação diz respeito precisamente à conectividade internacional. Portugal é o 9º país mais procurado no programa de intercâmbio europeu Erasmus, por exemplo.

O apoio à investigação científica, particularmente através da FCT (Fundação para a Ciência e Tecnologia) visa tornar Portugal uma referência internacional em ciência, tecnologia e inovação.

 

Arte / Cultura / Lazer

O povo português é, essencialmente, cosmopolita. Nunca um verdadeiro português foi português: foi sempre tudo.”

Fernando Pessoa

A riqueza cultural de um povo é o espelho da sua identidade e, com uma história marcada por inúmeras glórias, Portugal tem conseguido manter uma individualidade bem vincada.

Monumentos imponentes estendem-se por todo o território, com 15 locais reconhecidos como Património Mundial pela Unesco. É obrigatória a visita a algumas vilas históricas como Óbidos ou Monsaraz, percorrer a rota do vinho ao longo do rio Douro e desvendar os mistérios que esconde a vila de Sintra. Os amantes do surfe e de outras atividades ligadas ao mar encontram na costa portuguesa pontos de peregrinação incontornáveis.

Além fronteiras, Portugal tem alguns símbolos importantes: o futebol, com os embaixadores Cristiano Ronaldo e José Mourinho, a riqueza gastronómica, com o vinho e o azeite a impressionar os palatos mais exigentes e o fado (Património Imaterial da Unesco desde 2011), que teve em Amália o seu expoente máximo.

Mas não só de tradição e história vive Portugal. As principais cidades, Lisboa e Porto, são muito procuradas pelo seu cosmopolitismo, pelos excelentes restaurantes, pela movida noturna e pela vida cultural efervescente. Todos os dias existem à disposição concertos, espetáculos e exposições tanto nos grandes museus como nas pequenas galeria de arte. Festivais e eventos  ligados a todos os domínios das artes ajudam a compor uma programação eclética e relevante.

Para os artistas com vontade explorar um país diferente, existem programas de residências artísticas com vista à criação. Portugal é tido como um país inspirador, seja pela luz ou pelo mar, vários têm sido os artistas que escolhem Portugal como novo estúdio ou ateliê.

 

Partilhar