Uncategorized

Empreendedor de sucesso em Portugal – Visto D2

 

A primeira pergunta que nos vem à cabeça quando pensamos em sucesso é: “será que existe alguma fórmula mágica de sucesso para empreender?

Podemos afirmar que sim. A fórmula do sucesso pode ser aplicada em qualquer país do mundo onde haja um empreendedor.

O empreendedor é um profissional dotado de características muito próprias. Ao longo deste artigo, vamos abordar o que o torna tão especial.

Ser criativo e persistente é algo muito comum no perfil do empreendedor, pois este profissional lida constantemente com risco.

Porém, este risco deve ser devidamente estudado, calculado, na maioria dos casos até previsto.

CONHECENDO A FÓRMULA MÁGICA

Antes mesmo de iniciar o seu projeto, duas regras são fundamentais: fazer a coisa certa e começar bem seu negócio. Não basta ter uma boa ideia, é preciso saber executá-la da melhor forma possível.

Conhecer o custo deste investimento é um dos primeiros passos. Pelo que, o ajudará a definir a sociedade empresarial mais adequada para o seu negócio.

Em Portugal, é possível destacar duas sociedades mais comuns, as quais têm sido utilizadas por muitos empreendedores:

  1. Sociedades unipessoais por quotas
  2. Sociedades por quotas

Nestes dois tipos de sociedade, o capital social a ser investido não pode ser inferior a €1.

SOCIEDADE UNIPESSOAL POR QUOTAS

A sociedade unipessoal por quotas é constituída por um único sócio. Pode ser uma pessoa singular (pessoa física), ou ainda, pessoa coletiva (pessoa jurídica).

Nesta sociedade, a responsabilidade do sócio está limitada ao montante do capital social da firma, ou seja, do valor investido.

Na sociedade unipessoal por quotas, o sócio único exerce as competências das assembleias gerais, podendo designadamente nomear gerentes.

Além disso, toda decisão do sócio deve ser registrada em ata e assinada por ele próprio. As suas decisões são de natureza igual às deliberações da assembleia.

 

SOCIEDADE POR QUOTAS

A sociedade por quotas é uma empresa composta por dois ou mais sócios, cujo capital social se encontra repartido por quotas.

Cada sócio possui responsabilidade limitada ao valor da quota subscrita. Todos os sócios são solidariamente responsáveis por todas as entradas acordadas no contrato social, no caso do capital não estar integralmente realizado.

PROCEDIMENTO BUROCRÁTICO

O empreendedor tem um prazo de 5 dias após a constituição da empresa para realizar o depósito do capital social.

Ademais, poderá designar um Contabilista Certificado para providenciar a entrega do início de atividade nas Finanças bem como assinar a restante atividade  contabilistica da empresa ou negócio.

Deverá ainda, tratar de fazer a inscrição da sua empresa, dos trabalhadores, administradores, diretores ou gerentes na Segurança Social.

Porém, além de seguir os passos necessários para constituição da empresa, também é preciso verificar outros procedimentos exigidos antes da sua abertura.

O empreendedor estrangeiro, antes de iniciar o processo de constituição da empresa, deverá providenciar o número de identificação fiscal.

O número de identificação fiscal ou número de contribuinte é popularmente conhecido em Portugal como “NIF”. Este documento é necessário para diversos atos do dia-a-dia.

O NIF deve ser requerido nos balcões das Finanças, ou nas Lojas do Cidadão, sendo atribuído no momento do pedido.

O empreendedor não-residente em Portugal, ou seja, sem domicílio fiscal em Portugal, independentemente da nacionalidade, deverá nomear um representante fiscal.

Este representante constará nas Finanças como o responsável pelo recebimento de todas as suas notificações.

Partilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *